Telefone: (11) 3888-1414

Rua Vergueiro Ver Localização

16 out

Corretor é garantia para o Seguro

mito seguro Corretor é garantia para o Seguro

Quem possui um patrimônio conquistado com muito sacrifício também tem medo de perdê-lo, seja por furto ou acidente. Para se prevenir de infortúnios, a opção é a contratação de seguros. O mais popular é o de automóveis, mas também há os seguros de vida e saúde, casa e muitos outros. Neste Dia do Corretor de Seguros, O Diário mostra os desafios da profissão, que cresce ano a ano e hoje chega à marca de 700 corretores atuando na Região do Alto Tietê, conforme informou o diretor regional do Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP), Fábio Ferreira Mattos, de 47 anos. Há 14 anos na área, ele contou que o segmento é um bom ramo para se trabalhar, mas que requer paciência e tempo para enfrentar a concorrência e ocupar o seu espaço no mercado. Dicas preciosas para quem deseja trabalhar no setor. “É uma atividade promissora”, destaca.

A entidade que representa, além de Mogi das Cruzes, as cidades de Suzano, Poá, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos, Biritiba Mirim, Salesópolis, Guararema e Santa Isabel, se prepara para realizar o Fórum de Segurança Pública na Cidade, ainda neste mês, depois de ter sido promovido em Guarulhos e Arujá. A proposta do Sincor-SP é propor medidas de segurança para tentar diminuir os índices de criminalidade na Região do Alto Tietê. O evento vai chamar a atenção também para a cidade de Arujá, que se tornou alvo da marginalidade devido ao seu crescimento populacional, que se diferencia de algumas cidades da Região por abrigar condomínios de luxo. “Ao fazermos esse evento, além de termos a chance de garantir bons preços nas apólices, damos mais qualidade de vida à população”. Confira na entrevista a seguir: (Maria Salas).

Por que se deve fazer um seguro?

É a proteção do patrimônio das pessoas. Proteger as conquistas de cada um, de forma que se possam manter vivos os sonhos conquistados.

Quais são os tipos de seguro existentes no mercado?

Há uma infinidade de bens que podem ser segurados. Desde um automóvel, o mais comum, até o vida-saúde, passando pelo seguro residencial ou de viagem. Em qualquer um desses casos, é fundamental que a contratação seja feita por meio de um corretor de seguros, profissional habilitado e legalmente autorizado a fazer esta intermediação.

Qual é a importância do trabalho do corretor nos dias de hoje?

A partir da década de 1990, o corretor de seguros se consolidou como o principal canal de distribuição de seguros do Brasil. É um dado importante porque espelha o resultado de uma longa luta, de mais de vinte anos. Atualmente, até os grandes conglomerados financeiros têm os corretores como principais parceiros, especialmente para a venda dos seguros mais complexos. Mas assessorado por um corretor competente, o segurado – ou seja, o cidadão que pretende proteger seu patrimônio ou sua capacidade de atuação – tem chances concretas de comprar melhor um produto da maior importância.

Qual o papel desempenhado por ele na hora de o cliente decidir fazer um seguro?

Somente um bom profissional poderá mensurar o risco do qual o cliente deseja se proteger. O corretor de seguros é um consultor de risco, para tal se faz necessário primeiro entender o risco, para depois oferecer as coberturas de seguro necessárias e adequadas a cada segurado, visando protegê-lo. Ao chegar ao final deste processo, a meta é ter acesso ao que chamamos de apólice de seguro, contemplando todas as coberturas contratadas de determinado risco, o que pode variar de acordo com o risco e com as necessidades de cada segurado.

O que encarece os seguros?

São essas variações e adequações listadas acima, que resultam nos diferentes preços. Melhor exemplificando, podemos dizer que no caso de um seguro de automóvel, a composição do preço leva em conta diversas variáveis, como CEP de risco e ou de pernoite do veículo, idade do condutor, sexo, utilização do veículo (particular/profissional), idade dos demais condutores, etc. A contratação das coberturas desses riscos é que vai levar ao preço que será pago. Ocorre que a informação incorreta de qualquer variável impactará no preço final do seguro, podendo o segurado ser penalizado com o não pagamento da indenização, caso ocorra o sinistro. Portanto, é fundamental o acompanhamento de um corretor, esclarecendo e orientando a melhor forma de proceder.

Quais são as opções do mercado em termos de preços e demais condições das apólices?

Hoje, encontramos apólices para os mais diversos riscos, mas é necessário sempre fazer uma análise do risco por parte de um corretor, visando uma melhor cobertura desses riscos. Quando falamos em segurança, fica difícil precificar de forma quantitativa uma cobertura, mas existem variações de acordo com as ocorrências de riscos cobertos de cada seguradora. Como o seguro parte do princípio do mutualismo, ou seja, dentro de um cálculo técnico (atuarial) se estipula um número de pessoas pagando um determinado valor por ano para estatisticamente cobrir as probabilidades de ocorrências no ano, nem sempre as coisas saem conforme o combinado, e o numero de ocorrências acaba sendo maior, o que acarretará em uma maior participação de todos no rateio, culminando assim no aumento do preço.

Como está o mercado para corretores de seguros na Cidade e na Região?

Nosso mercado regional conta com aproximadamente 700 corretores. Passamos por uma febre e já está se acomodando; é um bom ramo para se atuar, mas requer paciência e tempo para enfrentar a concorrência e ocupar o seu espaço. É uma atividade promissora, mas leva algum tempo para que se possa viver da profissão.

Como deve proceder quem deseja atuar nessa área?

Para se tornar um corretor de seguros, se faz necessário concluir o curso de Habilitação Profissional de Corretor de Seguros pela Escola Nacional de Seguros (Funenseg / www.funenseg.org.br). A duração dele é de aproximadamente um ano.

Quantas seguradoras têm representação hoje em Mogi?

Atualmente, contamos com filiais das maiores seguradoras sediadas na Cidade, o que facilita ao trabalho do corretor e, consequentemente, a vida do segurado. O segurado deve ficar atento para as facilidades que alguns oferecem, pois não existe mágica em seguro. O preço segue uma linha que pode sofrer pequenas variações de seguradora para seguradora.

Que dicas o senhor passa para quem está à procura de um bom seguro?

Desconfie dos extremos, muito mais caro ou muito barato. Recentemente tivemos uma associação vendendo “cobertura de seguro” por preço bem inferior. Estas instituições não estão autorizadas a vender seguros e são ilegais. Denuncie, pois na maioria das vezes não entregam o que vendem, e o cliente, ao contrário do que pensa, não estará segurado.

O que ocorre em casos assim?

Recentemente a Superintendência de Seguros Privados (Susep) penalizou uma destas empresas no Vale do Paraíba, mas que atuava também em nossa Região, com multa de R$ 8 milhões por prática ilegal de venda de coberturas de seguros. Na Região contamos com bons profissionais, que tão logo detectam tal influência negativa informam ao Sincor-SP, que encaminha à Susep. É ela quem vai tomar as devidas providências, em alguns casos com a prisão dos envolvidos pela Polícia Federal.

O que mais o corretor de seguros pode fazer?

Atendimento à vítima de acidente de trânsito (DPVAT) de forma gratuita ao acidentado, sem qualquer tipo de cobrança. Essa atividade é desenvolvida pelo corretor da Região, centralizada na sede da nossa regional. Estamos empenhados também na redução dos roubos e furtos de automóveis na região, índice que em muito está preocupando.

Foi assim que surgiu a ideia do Fórum de Segurança?

Sim, esse fato nos levou a criar o Fórum de Segurança Pública, promovido pelas Regionais Mogi e Guarulhos do Sincor-SP, no qual nos reunimos com seguradores, corretores e autoridades locais, prefeito, vereadores, comando da PM, delegado seccional, guarda municipal, em busca de soluções para uma diminuição dessas ocorrências e, consequentemente, da criminalidade de uma maneira geral.

Onde o Fórum já foi realizado?

O primeiro foi realizado em Guarulhos. Recentemente fizemos um em Arujá, no último dia 2. No próximo dia 14, vamos ter uma reunião de alinhamento na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes para a realização do evento na Cidade. Diante desta ação, já estamos tendo resultados positivos em algumas cidades da Região e trocando ideias e experiências de sucesso entre os municípios.

Quais são as cidades que mais preocupam quando se pensa em criminalidade?

Itaquaquecetuba e Suzano. Arujá por exemplo, sempre foi uma Cidade, para nós do mercado segurador, sem grandes desvios na curva de sinistros. Mas nos últimos 12 meses se tornou recorrente, o que acabou elevando os preços na Cidade. Por isso, nós do Sincor (regionais Mogi e Guarulhos), estamos trabalhando para diminuir esses números e, consequentemente, reduzir os preços pagos pelos segurados.

Comprar seguro pela Internet é perigoso?

Já enfrentamos este fantasma com relação aos gerentes de bancos no passado e quem teve o desprazer de precisar desses vendedores de seguros sabe que ficou a ver navios. O mesmo acontece com as “empresas.com”. Neste caso, o cliente vai falar com quem? Vai reclamar para quem? Seguro não é eletrodoméstico ou livros, que se compram pela Internet. É necessário saber com detalhes, o que se está adquirindo e nós, corretores, estamos estabelecidos em nossas corretoras, prontos para auxiliá-los a qualquer momento, somos consultores de riscos.O corretor de seguros é o profissional que busca a cada dia a melhor solução, a melhor cobertura, a melhor proteção para o cliente. Por isso, nós corretores de seguros de Mogi e Alto Tietê nos orgulhamos de poder proteger a riqueza de nossa Região.

Fonte: O Diário, 12/10.

Problemas de colesterol antes dos 30
Brasileiro não se prepara adequadamente para a aposentadoria
Realize o sonho de comprar uma casa ou um carro. E o melhor: sem juros!
Unimed Nacional vai atender beneficiários da Unimed Paulistana